Author

Wrote

  • Hefesto era o deus grego do fogo, do trabalho, da metalurgia, dos artesãos e dos vulcões. Ele morava em seu próprio palácio no Monte Olimpo, onde ele criou ferramentas para os outros deuses. Ele era conhecido como um deus gentil e trabalhador, mas por ser manco, era considerado feio pelos outros deuses. Representação Hefesto geralmente era mostrado trabalhando em uma forja de fogo com seu martelo e uma bigorna. Ele não era um homem de boa aparência, mas ele era muito forte devido ao seu trabalho como ferreiro. Ao contrário de muitos outros deuses gregos, ele não montava uma carruagem, mas montava em um burro. Poderes e Habilidades Ele era muito habilidoso em metalurgia, trabalhos com pedra e outros ofícios que eram tipicamente realizados por homens gregos. Ele podia controlar o fogo e o metal para fazer qualquer coisa. Ele também tinha a capacidade de fazer suas criações criarem vida. Ele usou esse poder para criar duas servas de ouro que o ajudaram em seu trabalho. Nascimento de Hefesto Veja mais sobre: Mitologia egípcia », Mitologia grega » Em algumas histórias, Hefesto é o filho dos deuses Hera e Zeus. No entanto, em outras histórias, ele só tem Hera como mãe. Hera usou uma erva mágica para engravidar. Quando ela deu à luz Hefesto, ela ficou enojada com seu pé coxo e o atirou do Monte Olimpo, esperando que ele morresse. Retorno ao Olimpo Hefesto caiu do céu por vários dias e finalmente pousou no mar, onde foi resgatado por algumas ninfas do mar. As ninfas o esconderam de Hera e o criaram em uma caverna subaquática. Foi nessa época que ele aprendeu a fazer trabalhos maravilhosos com metal. Eventualmente, Zeus soube de sua existência e o deixou voltar para o Monte Olimpo. Um grande artesão Hefesto criou itens interessantes...
  • Os movimentos migratórios são os deslocamentos de populações entre territórios e estão relacionados aos fatores de atração e repulsão de pessoas em cada região. Nas dinâmicas demográficas, são chamados de “emigrantes” quem sai de um dado local e imigrantes quem chega à um determinado território. Historicamente, até a Revolução Neolítica as sociedades humanas estavam sempre migrando em busca de comida, água e em função do clima. Com o advento da agricultura, os grupos deixaram de ser caçadores-coletores nômades e se sedentarizaram, estabelecendo-se em territórios fixos. As migrações podem acontecer em qualquer escala: desde a migração diária de pessoas que vão trabalhar em cidades próximas (migração pendular) até eventos de fuga em massa para outros países (diáspora), como as de refugiados de catástrofes naturais. Fatores econômicos, bélicos, religiosos, ambientais, políticos e sociais podem motivar a movimentação das pessoas. Tipos de migração As migrações podem ser classificadas de acordo com três variáveis: o tempo, o espaço e a forma do movimento. Quanto ao tempo, os migrantes podem estar se mudando temporária ou permanentemente. Quanto ao espaço, ela pode ser internacional, inter regional (para outra região) ou intra regional (dentro da mesma região). Quanto à forma, ela pode se dar de forma espontânea ou forçada. Algumas formas comuns de migração Êxodo rural Quando um grupo sai do campo para as cidades. Isso aconteceu em grande escala no Brasil no final do século XIX por conta da urbanização e industrialização e por conta das secas cíclicas no nordeste. Buscando oportunidades e fugindo de condições climáticas, milhares de camponeses foram às grandes cidades. Mais recentemente, o êxodo rural tem acontecido em função da mecanização que substitui a mão de obra. a. Diáspora Pode acontecer por vários motivos. A Diáspora Somali, por exemplo, ocorreu quando milhares de somalis fugiram da guerra civil na Somália (1986 até...
  • O SENAI Bahia informa que estarão abertas as inscrições para o Processo Seletivo 2019.1 para os Cursos de Aprendizagem Industrial Básica. Os cursos terão início no mês de janeiro de 2019 sendo as aulas ministradas nos turnos matutino, vespertino e/ou noturno, nos municípios de: Alagoinhas, Barreiras, Cachoeira, Camaçari, Candeias, Feira de Santana, Ibotirama, Ilhéus, Iraquara, Itapetinga, Jequié, Juazeiro, Lauro de Freitas, Luis Eduardo Magalhães, Salvador, Simões Filho e Vitória da Conquista Estes cursos de aprendizagem industrial são de qualificação inicial, destinados a jovens com idade entre 14 anos e 21 anos. Os alunos desses cursos podem firmar contratos de aprendizagem com indústrias contribuintes do SENAI. Não haverá pagamento de mensalidades ou de inscrição. As inscrições ocorrerão exclusivamente via Internet, no site www.fieb.org.br/senai. Mais informações sobre os cursos e o edital completo estão na página do Senai. O post SENAI abre 1.128 vagas em cursos técnicos gratuitos apareceu primeiro em Escola Educação.
  • A Mula-Sem-Cabeça é um personagem folclórico brasileiro. No Brasil, foi popularizada por Monteiro Lobato, mas especula-se que tenha origens ibéricas, já que existem seres parecidos no folclore argentino (Almamula ou Mula Ánima) e mexicano (Marola). Conta a história que a mulher que se deitasse com um padre seria amaldiçoada e transformada em uma mula com chamas no lugar da cabeça. Seus relinchos eram misturados com gemidos humanos e suas patas calçadas com ferraduras de prata. Além de assustar, a criatura atropelava e despedaçava aqueles que a encontravam. A criatura era condenada a correr os pastos nas madrugadas de quinta-feira até que a maldição fosse desfeita. Segundo a lenda, as três formas de desfazer a maldição eram: tirar o freio da besta, feri-la com alfinete que nunca foi usado, o padre amaldiçoar a sua amante sete vezes antes da missa. O post A Lenda da Mula-Sem-Cabeça apareceu primeiro em Escola Educação.
  • November 9, 2018

    A Lenda da Cobra Grande

    A lenda da cobra grande é um mito folclórico das regiões norte e nordeste do Brasil sobre uma gigantesca serpente com olhos luminosos que habita as profundezas dos rios e lagos. De origem amazônica, a história explica de forma lendária a origem dos sulcos onde correm os rios. Esses seriam os rastros por onde a cobra havia passado. A inspiração para a criatura pode ter sido as sucuris (serpentes do gênero Eunectes), que podem chegar aos oito metros de comprimento. A versão mais corrente da história é aquela em que uma índia fica grávida de uma cobra sucuri e dá à luz a cobras gêmeas – um chamado Honorato (ou Norato, ou Nonato) e uma chamada Maria Caninana. A índia, repugnada com a aparência de seus filhos, os abandonou no rio. Honorato, porém, de bom coração, continuou visitando a mãe. Maria, por sua vez, era rancorosa e alimentava ódio por quem a abandonara. Maria Caninana naufragava embarcações, devorava animais e pessoas enquanto Honorato reprovava as atitudes de sua irmã. Honorato decidiu matar a irmã para acabar com suas injustiças e, assim, conseguiu a gratidão das tribos ribeirinhas. Nas noites de lua cheia, ele assumia forma humana e caminhava pela terra, participando das festividades com os índios. Entretanto, ele sempre tinha de retornar aos rios. Querendo tomar parte na vida humana, Honorato convidou as pessoas a desencantá-lo: era necessário colocar leite em sua imensa boca de cobra e ferir sua cabeça com aço virgem (que nunca cortara nada). Porém, ninguém tinha coragem de se aproximar da monstruosidade. Em uma versão da lenda, um soldado corajoso liberta Honorato e ele vive feliz por anos. Em outra, Honorato se revolta na ocasião da morte de sua mãe e vai viver enterrado sob as cidades, adormecido. O post A Lenda da Cobra Grande apareceu...
  • Na última quarta-feira, 7, a Câmara de educação básica do Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou as novas diretrizes do ensino médio. Antes disso, no início do mês de outubro o CNE havia realizado consulta pública sobre o formato e conteúdos da etapa de ensino. Uma das medidas constantes na resolução, e que mais desperta controvérsias, está relacionada à carga horária. De acordo com o texto aprovado, há possibilidade de que até 20% da carga horária do ensino médio seja ofertada à distância (EAD). No ensino médio noturno, poderá chegar a 30%. No total, foram oito votos a favor, um voto contra – do ex-presidente do Inep Chico Soares – e uma abstenção. A resolução aprovada seguiu a proposta do relator, o conselheiro Rafael Luchesi. Após a reforma do ensino médio, aproximadamente 60% da carga horária total será comum, quanto os outros 40% serão constituídos pelos itinerários formativos. Depois da consulta pública os membros do conselho incluíram a previsão de que o ensino à distância contemple, sobretudo, o conteúdo diferenciado da etapa de ensino. Antes da reforma, apenas cursos de graduação específicos, e em alguns casos, cursos de especialização tinham permissão e regulamentação para realizar ensino à distância. Em relação ao ensino médio, depois da reforma sancionada em 2017 pelo presidente Michel Temer, foi dada abertura para que parte das disciplinas pudesse ser ofertada na modalidade EAD. O ensino fundamental proíbe tal prática e, atualmente, o tema não possui discussões em andamento. Agora, para entrar em vigor, texto necessita de homologação do ministro da Educação. O post Até 30% do ensino médio poderá ser cursado à distância, decide Conselho apareceu primeiro em Escola Educação.
  • November 9, 2018

    A Lenda do Boto

    O boto-cor-de-rosa (Inia geoffrensis) é um cetáceo de água doce que vive na bacia amazônica. Segundo a lenda, essa criatura tem o poder de se transformar em um belo jovem, especialmente nas noites de comemoração dos Santos Populares (Santo Antônio, São João e São Pedro). Quando transformado, ele usa um chapéu para esconder seu espiráculo e roupas brancas. Nas noites festivas, ele escolhe a mais bela jovem solteira e a leva para passear pelo fundo do rio. Lá ele a engravida e a abandona. A expressão “filho do boto” é usada quando não se sabe quem é o pai de determinada criança. A lenda, portanto é uma espécie de justificativa tradicional para a gravidez fora do casamento. O post A Lenda do Boto apareceu primeiro em Escola Educação.
  • November 9, 2018

    A Lenda da Erva-mate

    A lenda da erva-mate é uma história folclórica do sul do Brasil. Conta a história que um guerreiro guarani estava triste porque já estava velho demais para guerrear. Seu único consolo era sua filha, Yari, que tinha recusado muitos pedidos de casamento para poder cuidar melhor do pai. Um dia, veio à casa do velho guarani um viajante estranho, com roupas exóticas e olhos azuis. Yari e seu pai foram hospitaleiros, cantaram para o viajante e lhe ofereceram suas melhores comidas. No dia seguinte, o viajante agradecido se revelou ser um mensageiro de Tupã e, para retribuí-los a bondade, realizaria qualquer desejo que tivessem. O velho pediu que lhe fossem devolvidas as forças da juventude, para que assim a filha ficasse livre para se casar. O mensageiro entregou ao velho as folhagens da planta Caá e ensinou a ele como cultivá-la e como preparar uma infusão com ela. A poção mágica que devolveu o ânimo ao velho índio era o chá de erva mate. O post A Lenda da Erva-mate apareceu primeiro em Escola Educação.
  • Ártemis foi um dos deuses antigos mais venerados pela população grega. Ártemis é a deusa grega da caça, do deserto, da lua, da virgindade, do parto, fertilidade e do arco e flecha. Ela é a irmã gêmea do deus Apolo e um dos Doze Deuses que vivem no Monte Olimpo. Ela passa muito do seu tempo na floresta cercada por animais como cães de caça, ursos e veados. Representação Ártemis é geralmente retratada como uma jovem usando uma túnica na altura do joelho e armada com seu arco e flecha. Ela muitas vezes é mostrada acompanhada por criaturas da floresta, como veados e ursos. Ao viajar, Ártemis monta numa carruagem puxada por quatro veados de prata. Poderes e Habilidades Veja mais sobre: Mitologia egípcia », Mitologia grega » Como todos os deuses olímpicos gregos, Ártemis era imortal e muito poderosa. Seus poderes especiais incluíam o objetivo perfeito com o arco e flecha, a habilidade de transformar a si mesma e aos outros em animais, curar doenças e controlar a natureza. Nascimento de Ártemis Quando a deusa titã Leto ficou grávida de Zeus, a esposa de Zeus, Hera, ficou muito zangada. Hera colocou uma maldição em Leto que a impediu de ter seus bebês (ela estava grávida de gêmeos) em qualquer lugar da Terra. Leto acabou encontrando a ilha secreta de Delos, onde ela teve os gêmeos Ártemis e Apolo. Seis Desejos Quando Ártemis completou três anos, ela pediu ao seu pai Zeus seis desejos: Nunca se casar; Ter mais nomes do que seu irmão Apolo; Ter um arco e flechas feitas pelos Ciclopes e uma túnica de caça até os joelhos para trazer luz ao mundo; Trazer luz ao mundo Ter sessenta ninfas para serem seus amigos e que cuidariam de seus cães; Ter todas as montanhas como seu domínio Orion Um dos...
  • Hermes era um deus grego e uma das doze divindade que viviam no Monte Olimpo. Sua principal tarefa era servir como mensageiro dos deuses. Ele era considerado o deus do comércio, ladrões, viajantes, esportes, atletas e guia para o submundo. Ele era capaz de viajar muito rápido e podia facilmente se mover entre os reinos dos deuses, humanos e mortos. Ele era conhecido por ser astuto e trapaceiro. Representação Hermes era geralmente retratado como um deus jovem e atlético. Ele usava sandálias aladas (o que lhe dava super velocidade) e às vezes um boné alado. Ele também carregava um equipamento especial chamada caduceu, que tinha asas no topo e estava entrelaçada por duas cobras. Poderes e habilidades Como todos os deuses gregos, Hermes era imortal e muito poderoso. Sua habilidade especial era a velocidade. Ele era o mais rápido dos deuses e usava sua velocidade para levar mensagens para os outros deuses. Ele ajudou a levar os mortos para o submundo e poderia colocar as pessoas para dormir com seus poderes mágicos. Nascimento de Hermes Veja mais sobre: Mitologia egípcia », Mitologia grega » Hermes era filho do deus grego Zeus e da ninfa da montanha Maia. Maia deu à luz em uma caverna na montanha e depois adormeceu. Hermes então escapou e roubou um pouco de gado do deus Apolo. Em seu caminho de volta para a caverna, Hermes encontrou uma tartaruga e inventou a lira (um instrumento musical de cordas) com sua concha. Apolo mais tarde descobriu sobre o roubo e exigiu seu gado de volta. Quando Apolo se aproximou, Hermes começou a tocar a lira. Apolo ficou tão impressionado que deixou que Hermes mantivesse o gado em troca da lira. Mensageiro Como o principal mensageiro dos deuses, especialmente de Zeus, Hermes aparece em muitos contos da mitologia...
 

Midas Casino