Guia do Educador

  • A Escola Nova é uma reação contra o estilo tradicional de ensino. É um movimento pedagógico que valoriza a experiência sobre os fatos de aprendizagem, em detrimento da compreensão do que está sendo ensinado. Quando você examina os estilos de ensino e o currículo do século XIX, entende por que certos educadores esclarecidos decidiram que deveria haver um caminho melhor. Uma breve visão geral da educação progressista narra a influência de educadores progressistas, como John Dewey e William H. Kirkpatrick. Filosofia A filosofia da educação progressista abraça a ideia de que devemos ensinar as crianças a pensar e que um teste não pode medir se uma criança é ou não uma pessoa educada. O processo de “aprender fazendo” é o cerne desse estilo de ensino, aproveitando os projetos práticos. O conceito de aprendizagem experiencial é aquele que muitos sentem que melhora a experiência do aluno, ao envolver-se ativamente em uma atividade que coloca o conhecimento em prática, o aluno desenvolve uma compreensão mais forte da tarefa em questão. Explorar os objetivos da aprendizagem é mais valioso que a memorização mecânica. Métodos da Escola Nova A Escola Nova, que é baseada na aprendizagem experiencial, é frequentemente considerada como a melhor maneira para relatar uma experiência para o estudante em situações do mundo real. O local de trabalho é um ambiente colaborativo que requer trabalho em equipe, pensamento crítico, criatividade e capacidade de trabalhar de forma independente. A aprendizagem experiencial concentra-se no desenvolvimento dessas importantes habilidades dentro dos alunos, ajudando-os a se preparar melhor para a faculdade e para a vida como um membro produtivo do local de trabalho, independentemente da carreira escolhida. Modelos O modelo mais progressista de educação instiga nos alunos um amor pela aprendizagem fazendo a escola uma parte da sua vida, não apenas algo que faz parte obrigatória...
  • O que as escolas devem ensinar? Como elas devem fazer isso? E como sabemos se estamos fazendo a escolha certa? Estas são perguntas incrivelmente importantes e devem ser respondidas de acordo com as necessidades sociais. A maneira que as escolas são projetadas e o que os alunos aprendem deve ser constantemente revisado, examinado e refinado. A maioria dos padrões acadêmicos modernos adota uma abordagem simples para a educação. Por que a educação, como um sistema, não pode se refazer tão agressivamente quanto a tecnologia digital? A fluidez de um determinado currículo deve, pelo menos, coincidir com a fluidez das exigências do conhecimento moderno. Nesta era de acesso à informação, nuvens inteligentes e piora da desigualdade socioeconômica, podemos considerar se deveríamos estar ensinando conteúdo, ou melhor,  ensinando os alunos a pensar , projetar seus próprios caminhos de aprendizagem e criar e fazer extraordinários. coisas que são valiosas para eles em seu lugar? Como uma escola pode se chamar de “boa” quando produz estudantes que não conhecem a si mesmos, o mundo ou o lugar deles? As características de uma boa escola Uma boa escola melhora visivelmente e substantivamente a comunidade em que está inserida. Uma boa escola adapta-se rapidamente à mudanças sociais. Uma boa escola usa todos os recursos, vantagens e oportunidades que tem para crescer e tende a ter mais recursos, vantagens e oportunidades do que as escolas de baixo desempenho. Uma boa escola tem estudantes que se dão bem e apoiam uns aos outros em direção a um objetivo comum. Uma boa escola produz estudantes que lêem e escrevem porque querem. Uma boa escola admite seus fracassos e limitações enquanto trabalha em conjunto com uma “comunidade global” para crescer. Uma boa escola tem medidas diversas e convincentes de sucesso – medidas que famílias e comunidades entendem e valorizam. Uma...
  • Quem não gosta de uma boa brincadeira de rua? O contato com os amigos e os desafios fazem com que as crianças percam horas brincando e se divertindo. Mas, você já parou para pensar de onde vem todas as brincadeiras de rua? Muitas delas são típicas das regiões de nosso país e foram transmitidas por gerações, ganhando o Brasil. Entre as várias praticadas nas ruas e escolas, estão aquelas originadas na Região Norte. Vamos conhecê-las? Caí no Poço Uma das crianças deve vendar os olhos, simulando ter caído em um poço escuro. Outra criança ajuda a escolher o “bem” do colega, perguntando “é esse?”, até que o vendado escolha. Antes de tirar a venda, a criança deve escolher como o será salvo dizendo o nome de uma fruta: pera (aperto de mãos); uva (abraço); maçã (beijo no rosto); e salada mista (soma dos três). Ah, e precisam cantar uma parlenda, que segue descrita abaixo: Criança vendada: Caí no poço! Outras crianças: Que altura? Criança vendada: Do pescoço. Outras crianças; Quem te tira? Criança vendada: Meu bem! Outras crianças: Pera, uva, maçã ou salada mista? Tucuxi Esta brincadeira deve ser realizada na água. As crianças se dividem em grupos, um representando os botos e, o outro, os pescadores. Os botos entram na piscina, mergulham e boiam. Os pescadores, por sua vez, tentam acertá-los com macarrões de isopor ou espuma (ou o que conseguirem, desde que não machuquem o colega). O que for atingido sai da brincadeira. Roubo da Melancia A missão do “ladrão” é levar todas as “melancias” da plantação para uma área demarcada. As frutas são crianças agachadas no chão. Quando abordadas pelo ladrão, devem dar o braço e acompanhá-lo. Só o dono da plantação pode salvar as melancias e devem rondá-las, evitando o bote do ladrão. As melancias que...
  • A educação à distância (EAD) é a prática de aprender fora do ambiente escolar. Com esse método, um professor em São Paulo poderia fornecer instruções para alunos de todo o mundo. Isso ajuda os estudantes que não podem ter aulas durante o horário tradicional por causa de trabalho ou outras responsabilidades. Ao usar termos como aprendizagem online e educação à distância, estamos tentando descrever um fenômeno muito dinâmico e em rápida mudança. Atualmente a aprendizagem online é a forma de educação à distância mais utilizada. Cursos via internet podem ser entregues de forma síncrona ou assíncrona. Toda a instrução é conduzida à distância, embora o ‘aprendizado online’ às vezes seja usado para um aprendizado combinado, onde a maior parte do tempo de estudo é gasto online, mas uma pequena parte é presencial. Os estudantes podem aprender em seu próprio tempo, no local de sua escolha (casa, trabalho ou centro de aprendizagem), e sem contato face a face com um professor. A tecnologia é um elemento crítico da EAD. No entanto, os programas de educação a distância também tem critérios para admissão. Se uma instituição é deliberadamente seletiva sobre seus estudantes, ela tem mais flexibilidade em relação à escolha de tecnologia para educação à distância. Pode, por exemplo, exigir que todos os alunos que desejam fazer um programa de EAD tenham seu próprio computador. Aprendizagem independente Espera-se que os alunos aprendam de forma independente, com o uso de materiais de estudo e canais de suporte oferecidos pela instituição. Isso requer auto-motivação, bem como disciplina por parte do aluno. Quando o apoio adequado é fornecido pelo instituto, os alunos ainda podem receber feedback e interagir com os professores. Ferramentas de estudo interativas Classes à distância geralmente incluem uma variedade de ferramentas de estudo e métodos de avaliação. Estes podem variar de lições...
  • Hoje em dia, cada vez mais alunos estão levando telefones celulares para a sala de aula. Até mesmo alunos do ensino fundamental têm celulares nos seus bolsos e mochilas. Mas uma dúvida sempre fica no ar: os estudantes devem usar telefones celulares na escola? Esse é um debate que muitos pais e professores têm ao longo do processo de ensino dos jovens. Os alunos verificam seus telefones na sala de aula em média mais de 11 vezes por dia. Isso pode resultar em muito tempo distraídos das obrigações escolares. Com os alunos gastando seu tempo em sala de aula enviando mensagens de texto, enviando e-mails e verificando as redes sociais, não é de se admirar que o debate sobre telefones celulares na sala de aula esteja vivo e seja polêmico. Saiba mais sobre os prós e contras de alunos trazendo seus celulares para a sala de aula. Pontos positivos Tecnologia e aprendizado Os smartphones oferecem aos alunos acesso a ferramentas e aplicativos que podem ajudá-los a concluir e manter o controle de suas tarefas em classe. Essas ferramentas também podem ensinar os alunos a desenvolver melhores hábitos de estudo, gerenciar melhor o tempo e auxiliar no desenvolvimento das habilidades de organização. Plataformas digitais de ensino O uso de redes sociais pode manter os alunos interessados ​​nas aulas e incentivá-los a participar das discussões. Alguns professores criam hashtags no Twitter ou quadros de mensagens que os alunos podem usar durante as discussões em sala de aula para compartilhar pensamentos e ideias. Isso pode ser especialmente útil para os alunos que não se sentem confortáveis ​​em falar em público. Materiais digitais Os professores podem aproveitar os telefones celulares fornecendo aos alunos recursos para encontrar mais informações sobre um assunto. Isso pode incluir vídeos, notícias e grupos de discussão on-line. Permitir que os...
  • Atos de violência, como o bullying, podem traumatizar não apenas as vítimas, mas também testemunhas e colegas. Essa ação pode ser sentida como uma agressão ou ameaça direta, ou como práticas destinadas a dominar, oprimir ou até mesmo causar danos físicos. Há também graus diferentes de bullying, sendo que cada um deles pode prejudicar um indivíduo de forma física, social, material e psicológica. Além disso pode ferir os direitos e liberdades de um ser humano. Esse tipo de violência, quando ocorre, não é um acidente. Alguém pode ser atacado por muitas razões: o perpetrador pode querer fazer seus amigos rirem, ganhar status social, amedrontar, ameaçar ou dominar outra pessoa. Ao contrário da agressividade, raiva ou frustração, o bullying não é uma reação primária. Faz parte de um processo que se constrói ao longo do tempo, de acordo com os traços de personalidade do indivíduo e sob a influência de vários eventos em seu ambiente. As ações que envolvem o bullying acontecem entre pelo menos duas pessoas, o perpetrador e a pessoa contra quem as ações, palavras, atitudes ou atos violentos do perpetrador são direcionados. O bullying ocorre em todos os tipos de ambientes: nos corredores das escolas, nas ruas, shopping centers, no trabalho e até mesmo em casa (entre irmãos e irmãs). É uma ação ou que ameaça, magoa, humilha ou frustra a vítima. Alvos de bullying são dominados por outra pessoa ou grupo e acham difícil se defender dessa violência. Não é um simples argumento entre amigos; nem é um evento único e não repetido, ou uma provocação que todos os envolvidos possam desfrutar. O bullying pode transformar atividades diárias, como ir à escola ou comer com colegas de trabalho em um pesadelo, e pode até mesmo deixar suas vítimas doentes. Como combater o bullying? Ajude as crianças, jovens...
  • A categoria diagnóstica de Transtornos Globais de Desenvolvimento (TGD) refere-se a um grupo de condições caracterizadas por atrasos no desenvolvimento de habilidades de socialização e comunicação. A intervenção precoce, incluindo programas educacionais apropriados, especializados e serviços de apoio, desempenha um papel essencial na melhoria do resultado de indivíduos com TGD. Essas condições não afetam a expectativa de vida de uma pessoa. Sintomas Os pais podem notar sintomas logo na infância, embora a idade típica de início seja antes dos 3 anos de idade. Os sintomas podem incluir: Problemas com o uso e o entendimento da linguagem (dificuldade relacionada a pessoas, objetos e eventos); Brincadeiras incomuns com brinquedos e outros objetos; Dificuldade com mudanças nos ambientes de rotina ou familiares, Movimentos corporais repetitivos ou Padrões de comportamento. O autismo é a doença mais comum e mais estudada quando se trata de TGD. Outros tipos de Transtornos Globais de Desenvolvimento incluem a Síndrome de Asperger, Transtorno Desintegrativo da Infância e Síndrome de Rett. Crianças com TGD possuem habilidades, inteligência e comportamentos variados. Algumas crianças não falam absolutamente nada, outras falam em frases ou conversas limitadas, e algumas têm desenvolvimento de linguagem relativamente normal. Também é evidenciado habilidades em jogos repetitivos e habilidades sociais limitadas. Quem sofre com essa condição pode ter respostas incomuns a informações sensoriais, como ruídos e luzes. Tratamento Não existe cura conhecida para o TGD. Medicamentos são usados ​​para resolver problemas comportamentais específicos. Terapia para crianças com Transtornos Globais de Desenvolvimento deve ser especializada e de acordo com a necessidade. Algumas crianças com TGD passam por um ensino especial em salas de aula especializadas, nas quais o tamanho da turma é pequeno e a instrução é dada individualmente. O post Transtorno Global de Desenvolvimento – O que é, Sintomas e Tratamento apareceu primeiro em Escola Educação.
  • O sistema alfabético da Língua Portuguesa é composto por 26 letras, entre vogais e consoantes. A partir delas, são formados os fonemas, estruturas que usamos para articular e pronunciar cada palavra que compõe o nosso vocabulário. O aprendizado do alfabeto e a consequente leitura das palavras é chamado de alfabetização. Uma das grandes críticas de especialistas é quanto ao ensino mecânico das letras, mostrando-as de forma solta, sem sentido e desconexa da realidade. Uma das estratégias criadas para se contrapor ao convencional de alfabetização é o método fônico. Nele, o alfabetizador despertará a consciência fonêmica de forma efetiva, desde que bem utilizado. Conheça mais sobre essa modalidade! O que é o método fônico de alfabetização? O método fônico de alfabetização é o sistema que consiste em ensinar os sons da primeira letra de cada palavra. A partir daí, a pronúncia completa do vocábulo é construída a partir da mistura de cada som, permitindo que a criança leia toda e qualquer palavra. O surgimento dessa modalidade de alfabetização se deu como mais uma crítica ao método alfabético ou de soletração, majoritário até a década de 80. Mas, como funciona, exatamente, o método fônico? A proposta do método fônico é ensinar os sons das letras e fonemas antes de, simplesmente, entregar o livro para uma criança ler. Quando alguns deles foram apreendidos, o próximo passo é combiná-los de forma a construir uma palavra. Os principais objetivos do método fônico de alfabetização são: mostrar à criança que cada palavra tem som um som diferente relacionar as letras que representam determinados fonemas quando é preciso mudar uma ou mais letras para formar uma palavra diferente identificar os sons que cada letra representa e juntá-los para conseguir ler Em suma, o método fônico é qualquer sistema de alfabetização que relacione fonemas e grafemas. Há diversas...
  • As pessoas com deficiência intelectual podem processar as informações mais lentamente do que outras. Quem sofre com essa deficiência têm dificuldade em se comunicar e gerenciar as tarefas cotidianas. Além disso, também apresentam dificuldades com conceitos abstratos, como dinheiro e tempo. Uma deficiência intelectual pode ser causada por uma condição genética, problemas durante a gravidez e nascimento, problemas de saúde, doença e fatores ambientais. Tipos de deficiência intelectual Síndrome do X Frágil É a deficiência intelectual  herdada mais comum. A Síndrome do X Frágil é uma condição genética causada por uma mutação no cromossomo X. As pessoas nascidas com a síndrome do X Frágil podem experimentar uma ampla gama de dificuldades físicas, de desenvolvimento e emocionais. No entanto, o nível de gravidade pode ser muito variado. Alguns sinais comuns incluem atraso no desenvolvimento, dificuldades de comunicação, ansiedade, TDAH e comportamentos semelhantes ao autismo. Os homens geralmente são mais afetados pela síndrome do que as mulheres. Síndrome de Down A síndrome de Down não é uma doença ou enfermidade, é um distúrbio genético que ocorre quando alguém nasce com uma cópia extra completa ou parcial do cromossomo 21 em seu DNA. A síndrome de Down é o distúrbio cromossômico genético mais comum e causa de dificuldades de aprendizagem em crianças. Foto Reprodução: Wikimedia Commons As pessoas com síndrome de Down podem ter uma variedade de características físicas e de desenvolvimento comuns, bem como uma incidência maior que o normal de doenças respiratórias e cardíacas. As características físicas associadas à síndrome de Down podem incluir uma ligeira inclinação para cima dos olhos, uma face arredondada e uma baixa estatura. Eles também terão algum nível de deficiência intelectual e de aprendizado, mas isso pode variar muito de pessoa para pessoa. Atraso de desenvolvimento É importante saber que as crianças se desenvolvem e amadurecem...
 

Midas Casino